6 passos para um planejamento financeiro eficiente

Planejar é um hábito que faz parte do dia a dia da maior parte da população. Planejamos uma viagem de férias, planejamos os afazeres do dia a dia em casa e no trabalho e fazemos planos para o final de semana.  Quando o assunto é dinheiro, no entanto, este cenário muda completamente.

São poucas as pessoas que costumam controlar e monitorar as finanças e manter um planejamento financeiro eficiente de curto, médio e longo prazo. Como consequência, acabam encontrando dificuldades em manter a vida financeira em ordem.

Esta, no entanto, não precisa mais ser uma realidade para você. Fazer um bom planejamento pode ser muito mais fácil e simples do que você imagina.

Neste artigo, você acompanhará 6 passos para um planejamento financeiro eficiente e aprenderá a manter seu dinheiro sempre sob controle.

Boa leitura!

A importância de um planejamento financeiro eficiente

Ter uma vida financeira equilibrada é o desejo de 100 em cada 100 pessoas. Afinal, acompanhar não apenas o dinheiro sobrar no final do mês como também vê-lo crescer ao longo do tempo é o que nos traz maior tranquilidade e a certeza de que estamos caminhando na direção certa para alcançar a liberdade financeira que tanto desejamos.

E o planejamento financeiro eficiente se encaixa justamente neste cenário. Sem o correto controle do dinheiro que entra e sai da sua conta, é quase impossível fazer planos, conquistar metas financeiras e fazer o dinheiro se multiplicar com o passar dos anos.

Além disso, é apenas a partir de um bom planejamento em relação às suas finanças que você consegue se antecipar a situações que poderiam comprometer sua vida financeira.

Manter o planejamento financeiro no seu dia a dia, portanto, é parte fundamental de um grande processo que envolve alcançar objetivos de curto, médio e longo prazo e conquistar a liberdade e a independência financeira no futuro.

Atenção às informações

A primeira questão que precisa estar clara para você é que um planejamento financeiro eficiente depende, basicamente, de uma base sólida de informações. De nada adianta você planejar as finanças de maneira desordenada e descompromissada. Desta maneira, você não alcançará nenhum dos seus objetivos.

Por isso, é imprescindível manter o comprometimento com seu planejamento financeiro e encará-lo com a seriedade que ele merece. Serão alguns minutos dedicados a esta tarefa todos os meses – que serão totalmente compensados ao longo da sua vida.

Compreendida a necessidade de reunir informações precisas e se dedicar ao seu planejamento financeiro pessoal, é importante que você também entenda que estes dados devem ser constantemente monitorados – e alterados, se preciso. Afinal, nossos hábitos de consumo e nossas receitas e despesas estão em constante mudança.

Manter seu planejamento financeiro sempre atualizado, portanto, será um passo importante para que as projeções ali estabelecidas possam ser cumpridas com excelência.

6 passos para fazer um bom planejamento das finanças

Agora que você já sabe a importância de fazer um planejamento financeiro eficiente e mantê-lo sempre atualizado, é o momento de conferir 6 passos para cria-lo de maneira simples e satisfatória.

Você verá que são passos simples, que podem ser mantidos por qualquer pessoa que deseja cuidar melhor do seu dinheiro e vê-lo render mais ao final de cada mês. Vamos lá?

1.       Gaste menos do que ganha

Este é o passo número um de qualquer planejamento financeiro eficiente. Afinal, quem gasta mais do que ganha – o que é bastante comum por aí – jamais conseguirá manter as finanças organizadas e conquistar objetivos financeiros.

Portanto, por mais óbvio que possa parecer, gastar menos do que se ganha é o primeiro passo para fazer um bom planejamento financeiro. Se o seu dinheiro não é suficiente para pagar suas contas mensais, talvez este seja o melhor momento para repensar seus gastos, cortar custos e adequar seu padrão de consumo à sua realidade financeira.

2.       Registre despesas e receitas

Pode parecer uma tarefa um tanto quanto maçante, mas registrar despesas e receitas mensais é um passo importantíssimo para que você comece a tomar as rédeas da sua vida financeira e controlar melhor seu dinheiro. Identifique tudo o que entra e sai da conta ao longo do mês e registre cada despesa ou crédito.

Com estas informações em mãos será muito mais fácil estabelecer planos de curto, médio e longo prazo para você e sua família.

3.       Defina objetivos

Uma pessoa sem um objetivo definido dificilmente sairá do lugar – já que ela não saberá sequer para onde vai ou deseja ir. Por isso, definir objetivos claros é fundamental no processo de planejamento das finanças.

Aqui, se inclui não apenas os objetivos maiores – e de prazo maior, como comprar uma casa, trocar de carro, viajar o mundo. Deve-se também considerar os objetivos de curto e médio prazo também, como a viagem familiar no próximo feriado, a compra de um eletroeletrônico que você tanto deseja, a troca de um celular, entre tantos outros.

Até mesmo o pagamento de uma dívida – se ela existir – deve se considerado aqui. Afinal, limpar o seu nome no mercado é sempre um objetivo a ser alcançado, não é mesmo?

4.       Poupe e invista dinheiro

Finanças em ordem, fluxo financeiro controlado e objetivos definidos, é o momento de fazer o dinheiro sobrar no final do mês para que cada uma das metas estabelecidas seja alcançada no curto, médio e longo prazo. Não importa se o valor poupado no final do mês lhe pareça baixo: qualquer quantia é importante!

Com o tempo, a tendência é que você consiga controlar melhor seu orçamento e faça o dinheiro sobrar cada vez mais. Além disso, é comum que nossos ganhos também se elevem ao longo dos anos.

E, conforme isso for ocorrendo, você terá uma capacidade de poupança cada vez maior ao longo do tempo – acelerando a conquista das metas financeiras.

Lembre-se, no entanto, que apenas poupar dinheiro não é suficiente para alcançar objetivos financeiros e até mesmo a liberdade e independência financeira. Para isso, é imprescindível que você invista o valor poupado todos os meses.

Encontre os produtos de investimento que mais se alinham a cada um dos seus objetivos e faça aportes regulares. Desta forma, você fará o dinheiro trabalhar para você e irá acelerar a conquista dos seus sonhos.

5.       Crie uma reserva de emergência

Durante o processo de investimento do dinheiro poupado, é importante que você dê uma atenção especial à criação da reserva de emergência. Trata-se de uma quantia disponível em um investimento de alta liquidez, que poderá ser utilizada sempre que houver necessidade.

É aquele dinheiro guardado para emergências – como a perda de um emprego, por exemplo – que ajudará você a manter as contas em ordem em caso de imprevistos financeiros. O ideal é que esta reserva de emergência seja composta por, no mínimo, o equivalente a seis meses da sua renda ou das suas despesas mensais.

E nãos e esqueça de manter o valor investido em um produto de alta liquidez e segurança – como é o caso dos Fundos DI ou CDB de liquidez diária.

6.       Converse com a família

Na hora de fazer um planejamento das finanças, a participação de toda família é primordial. Caso contrário, você poderá estar comprometendo todo o seu planejamento no médio e longo prazo.

Parece um exagero para você? Então imagine a seguinte situação: pense que você tenha definido um planejamento impecável para os próximos meses – ou anos, estabelecendo as despesas e receitas dos meses que se seguirão, definindo objetivos e metas financeiras.

Estes planos estão bem estabelecidos em sua mente, certo? Mas, e quanto aos demais membros da família? Se todos eles não acompanharem estes mesmos planos, é quase certo que você fracassará em alcançar os objetivos estabelecidos.

Portanto, para evitar que os gastos familiares façam seu planejamento financeiro fracassar, converse com toda a família e divida com ela esta tarefa de fazer (e manter) um planejamento financeiro eficiente. Com a ajuda de todos ficará muito mais fácil alcançar bons resultados!

Gostou do artigo sobre 6 passos fundamentais para um planejamento financeiro eficiente? Então que tal começar a montar agora o seu planejamento pessoal e dar um passo importante em direção a um futuro financeiro mais tranquilo para você e sua família?

André Barbirato

Formado em marketing, encontrou no mercado financeiro sua verdadeira vocação. Possui certificação ANCORD e mais de 8 anos de experiência no mercado de capitais. Atualmente é sócio de um escritório de investimento e head de mesa de renda variável. É também o criador do blog Eu Posso Investir!?.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *