Tesouro ou Poupança: qual escolher?

Que a caderneta de Poupança é o investimento mais popular do Brasil ninguém duvida. O que pouca gente sabe é que este produto tão conhecido pelos brasileiros tem oferecido uma rentabilidade cada vez mais baixa aos investidores.

E, em um cenário de taxa de juros cada vez mais baixa, um outro investimento tem chamado cada vez mais atenção dos investidores brasileiros – sobretudo entre aqueles mais conservadores ou que estão iniciando seus aportes agora. Trata-se dos títulos do Tesouro.

Um investimento tão seguro quanto a Poupança, os títulos emitidos pelo Governo Federal podem ser opções interessantes para quem busca por opções na renda fixa. Mas, atualmente, o que vale mais a pena: Tesouro ou Poupança?

Continue a leitura deste artigo e descubra a resposta!

Caderneta de Poupança: a queridinha dos brasileiros

Poupar e investir não é um hábito de boa parte da população brasileira. Contudo, entre aqueles que já deram o primeiro passo, a Poupança é quase sempre o primeiro investimento a ser escolhido para quem deseja guardar dinheiro.

Até alguns anos atrás, a escolha fazia algum sentido. Afinal, com as taxas de juros acima de 14% ao ano, a Caderneta de Poupança ainda oferecia um bom rendimento somado a um alto grau de segurança, liquidez e isenção de Imposto de Renda.

Isso porque, até hoje, este investimento de renda fixa conta com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que protege o investimento até o valor máximo de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira – respeitando um limite global de R$ 1 milhão a cada 4 anos. A liquidez segue sendo imediata e há ainda isenção de IR sobre o investimento.

Entretanto, com a redução na taxa Selic nos últimos anos, a rentabilidade da Poupança tem recuado fortemente. Muito mais, inclusive, do que muitos investidores podem imaginar.

Rentabilidade real negativa

Em 2019, por exemplo, a Poupança perdeu para a inflação. De acordo com um levantamento da consultoria Economatica, a rentabilidade real da Poupança (ou seja, descontada a inflação) no ano passado foi de -0,05%. Quem deixou o dinheiro alocado na Poupança, portanto, perdeu poder de compra no ano passado.

O mesmo ocorreu também em 2002, 2013 e 2015. Ou seja, ao invés de ver seu dinheiro render na Caderneta de Poupança, o investidor que escolheu apenas este investimento para fazer seus aportes viu seu investimento ter um rendimento real negativo.

Engana-se, no entanto, quem acredita que a Poupança é a única opção segura para investimentos. Existem diversos produtos igualmente seguros no mercado brasileiro, que podem atender às necessidades dos mais diferentes tipos de investidor.

Títulos do Tesouro: uma alternativa à Poupança

Uma das principais alternativas à Caderneta de Poupança, como você já sabe, são os títulos do Tesouro. Negociados via plataforma do Tesouro Direto, estes títulos oferecem rentabilidades mais atrativas que a poupança e podem compor a carteira de investimentos de muitos investidores.

Existem diversos títulos do Tesouro disponíveis no mercado. Para fins de reserva de emergência – substituindo a Poupança, por exemplo, o Tesouro Selic é o mais adequado.

Ele oferece alta liquidez ao investidor e tem rentabilidade alinhada ao CDI – e, consequentemente, à taxa Selic. Portanto, se a taxa básica de juros brasileira estiver, por exemplo, a 5% ao ano, esta será também a faixa de rentabilidade oferecida pelo Tesouro Selic.

Para quem investe na Poupança visando acumular patrimônio para aposentadoria ou para outros objetivos de longo prazo, por exemplo, existe o Tesouro IPCA.

Este título negociado na plataforma do Tesouro Direto costuma ter vencimento no longo prazo e liquidez limitada. E, por se tratar de um investimento de prazo mais longo, oferece uma rentabilidade fixa acrescida do IPCA – índice que mede a inflação oficial do país.

Sendo assim, ao investir em um título do Tesouro IPCA, o investidor se protege da inflação – já que seu investimento renderá um valor fixo mais a inflação. Bastante interessante, não é mesmo?

Diferente da Poupança, os títulos do Tesouro não contam com a proteção do FGC. Contudo, por se tratar de um título emitido pelo Governo, é considerado o investimento mais seguro do país.

Investimento mínimo

Outra vantagem dos títulos do Tesouro está no investimento mínimo necessário. Enquanto muitos brasileiros acreditam ser necessário ter uma quantia grande para fazer aportes, o Tesouro permite ao investidor iniciar suas aplicações com um montante mínimo em torno de R$ 30,00.

Desta forma, os títulos do Tesouro acabam sendo um investimento bastante acessível para qualquer perfil de investidor.

Custos

Os custos do investimento no Tesouro são, muitas vezes, barreiras para os investidores que ainda aportam na Poupança. Neste aspecto, entretanto, é preciso atenção.

Apesar de haver custos para investir no Tesouro – como o Imposto de Renda e a taxa de custódia de 0,25% ao ano cobrada pela B3, a rentabilidade oferecida por este investimento supera a rentabilidade da Poupança mesmo considerando estas despesas.

Portanto, antes de tomar a decisão de continuar na Poupança, procure avaliar com cuidado estas questões. Muitas vezes você deixa de investir em produtos financeiros muito mais adequados às suas necessidades e perfil e muito mais rentáveis apenas por não fazer esta análise mais profunda em relação a eles.

Outras alternativas à Poupança

O Tesouro, no entanto, não é o único investimento disponível para aqueles investidores que buscam uma alternativa à Poupança para obter melhores rentabilidades em seus aportes.

Atualmente existem inúmeras opções de investimento na renda fixa para aqueles que ainda buscam segurança na hora de investir.

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs), os Fundos de Renda Fixa, as Letras de Câmbio (LCs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio) são alternativas à Poupança que valem a pena ser avaliadas pelos investidores.

Sair da poupança: uma decisão inteligente

Respondendo à pergunta do início deste artigo, entre Tesouro e Poupança, os títulos do Tesouro acabam sendo uma opção mais inteligente para investir o seu dinheiro e obter uma rentabilidade melhor com o mesmo grau de segurança.

São muitas as opções de investimentos seguros que podem lhe trazer muito mais rentabilidade que a tradicional Caderneta de Poupança. Portanto, não há mais desculpas para manter seu dinheiro na Poupança.

Se você já tomou a decisão de sair deste investimento, vale a pena pesquisar as opções de investimentos disponíveis no mercado e encontrar as melhores alternativas para você.

Agora, se você se sentir confortável em buscar por melhores rentabilidades a partir da exposição a riscos maiores, a renda variável – como o investimento em ações – pode ser uma alternativa interessante para compor seu portfólio de investimentos.

Para saber mais sobre o assunto, pesquise e estude a respeito das opções disponíveis no mercado. Se preferir, busque auxílio de uma assessoria de investimentos para ajudar você a tomar as melhores decisões de investimento.

One thought on “Tesouro ou Poupança: qual escolher?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *