Afinal, o que é price action e como funciona?

O universo da especulação pode ser empolgante para quem está conhecendo a bolsa de valores. Afinal, quem não gostaria de ganhar dinheiro no curto ou curtíssimo prazo? Mas, para aumentar as suas chances de sucesso, é preciso ter uma boa estratégia de analisar o mercado.

Nesse sentido, você sabe o que é price action? Na renda variável os preços de ativos e derivativos podem se mover rapidamente. Estar atento a essas oscilações permite encontrar boas janelas para especular — sendo essa uma das principais propostas da estratégia.

Pensando nisso, preparamos esse artigo para ajudar você. Continue a leitura e conheça o que é price action e como ele funciona. Aproveite!

O que é especulação?

Antes de ser apresentado o conceito de price action, é importante saber o que é a especulação. Isso porque o uso da estratégia faz mais sentido nessa forma de operar o mercado.

O ato de especular se refere à prática de comprar e vender ativos e derivativos financeiros para obter lucro rapidamente. Nesse sentido, não importa a ordem da operação, basta que ela seja iniciada e encerrada no curto ou curtíssimo prazo.

Por exemplo, você pode comprar uma ação a R$ 10,00 e, posteriormente, vende-la a R$ 12,00. Nesse caso seu lucro será de R$ 2,00 por ação — sem contar os custos da operação. Também é possível vender essa ação por R$ 15,00 e, depois, comprá-la a R$ 13,00 — alcançando o mesmo lucro.

São duas as principais estratégias de especulação mais usadas:

  • day trade — a operação é iniciada e encerrada no mesmo dia (mesmo pregão);
  • swing trade — a operação é iniciada e encerrada em dias diferentes (geralmente dura poucos dias ou semanas).

Cada uma delas conta com taxas específicas, tributação diferenciada e métodos de operar. Então, antes de começar a especular, é importante ter o conhecimento prévio dessas questões para escolher aquela que atende ao seu perfil e objetivos financeiros.

O que é o price action?

O termo completo dessa metodologia de leitura de mercado é price action trading — traduzida fica “ação do preço” ou “comportamento do preço”. Isso porque nela não é levado em consideração os fundamentos que influenciam no preço —mas, sim, o histórico dele.

O price action é uma das formas mais conhecidas e utilizadas por traders na hora de analisar o mercado, graças à sua simplicidade e praticidade. Geralmente, ele é baseado no gráfico de candlesticks (velas), por ser um dos mais completos no que se refere às informações de preço.

Cada candle plotado no gráfico traz consigo a informação do preço de abertura, fechamento, e a máxima e a mínima do ativo ou derivativo em um intervalo de tempo. Assim, é possível acompanhar cada movimentação, visualizando padrões que podem nortear as decisões do especulador.

Portanto, o price action pode ser conceituado como o conjunto de conhecimento sobre os padrões gráficos e previsões acerca das movimentações do preço. O objetivo é auxiliar o trader em suas operações de compra e venda.

Como ele funciona?

Após conhecer o que é o price action e seu conceito, é importante entender o seu funcionamento. Como visto, ele permite analisar o comportamento dos preços e a formação de padrões gráficos.

Cada vez que os preços se movimentam, é possível identificar as intenções dos demais operadores do mercado. Com isso, o trader consegue tentar deduzir as próximas movimentações.

Uma máxima entre traders é que “o mercado é cíclico e tende a repetir seus movimentos”. Assim, a cada vez que os preços formam um padrão específico, ele pode reprisar uma tendência e alterar a direção dos preços. O adepto do price action consegue se antecipar a essa movimentação.

Além disso, os desenhos gráficos são formados através de uma soma de decisões de compra e venda — ou seja, é uma disputa de força entre comprados e vendidos. Logo, o price action permite a identificação da força predominante, o que facilita o posicionamento do trader nesse sentido.

Quais suas principais características?

O price action pode ser caracterizado por sua simplicidade, pois os padrões gráficos são fáceis de serem identificados. Ainda, são conhecidos e estudados há muito tempo. Além disso, ele desenvolve habilidades de visualização do trader, já que é preciso fazer a leitura dos candles com frequência.

Outra característica notável no price action é a versatilidade. Isso porque a sua utilização pode ser feita em qualquer ativo ou derivativo negociado na bolsa de valores. Inclusive, em mercados estrangeiros — desde que os preços se movimentem com base na lei da oferta e demanda.

Qual a diferença do price action para uma análise técnica tradicional?

Uma das principais diferenças entre análise técnica tradicional e price action é a utilização de indicadores. Eles são referências que auxiliam o trader a identificar tendências de mercado, movimentos, entre outros fatores.

No price action, como visto, é possível tomar decisões partindo apenas dos preços. Então, geralmente, usa-se somente o gráfico. Já na análise técnica, podem ser adicionados indicadores. Por exemplo, médias móveis, índice de força relativa (IRF), bandas de Bollinger, etc.

Quais as vantagens e as desvantagens do price action?

Dentre as maiores vantagens do price action está a utilização de um gráfico limpo. Traders que se valem da análise técnica, por diversas vezes, acabam fazendo o uso de muitos indicadores que poluem a tela operacional. Isso pode deixar a operação mais complexa e difícil.

Logo, quem é adepto do price action não tem tantos dados na tela e pode contar com mais qualidade na informação final. Ao dominar a leitura dos preços, o trader consegue identificar os suportes e resistências, as linhas de tendência e padrões gráficos com mais facilidade.

Como desvantagem pode ser apontado o fato de que o trader precisará ter experiência e agilidade operacional, demandando bastante tempo de estudo. Além disso, será necessário ter um mindset adequado para o mercado para que não haja insegurança na hora de fazer as operações.

Ao conhecer o que é price action você pode ir mais preparado para o mercado. No entanto, é importante conhecer os riscos envolvidos e verificar se eles se enquadram no seu perfil e objetivos. Por isso, não deixe de estudar diferentes estratégias e formas de proteger seu capital.

Se você quer ter acesso a conteúdos exclusivos, siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!

André Barbirato

Formado em marketing, encontrou no mercado financeiro sua verdadeira vocação. Possui certificação ANCORD e mais de 8 anos de experiência no mercado de capitais. Atualmente é sócio de um escritório de investimentos e head de mesa de renda variável. É também o criador do blog Eu Posso Investir!?.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *