O que é hedge? Veja como funciona e como proteger seus investimentos com ele!

A flutuação de preços é esperada na renda variável, mas pode causar algumas perdas, dependendo da volatilidade. Embora não seja possível evitar todos os riscos, é viável diminuir parte dos impactos a eles atrelados. Para tanto, é fundamental saber o que é hedge.

Esse dispositivo é muito importante para minimizar perdas que podem ser causadas pela oscilação de preços. Porém, só será possível atingir tal nível de proteção se você souber como aplicar o mecanismo em sua carteira.

Pensando nisso, veja tudo sobre hedge e aprenda a colocá-lo em prática para proteger sua alocação de recursos!

O que é hedge?

O hedge é um mecanismo usado para trazer proteção à carteira diante de oscilações e riscos do mercado. Portanto, serve como um dispositivo de segurança para quem realiza investimentos. Sua execução é regulamentada e prevista pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O que significa fazer hedge?

Fazer hedge no mercado financeiro representa realizar certas operações visando diminuir os riscos e o impacto da volatilidade no seu portfólio. Como consequência, ele ajuda a prevenir as perdas e trazer mais previsibilidade e equilíbrio.

O hedge é realizado pelo próprio investidor, que deseja evitar prejuízos causados pela alteração de preços. Portanto, fazer hedge significa aplicar dispositivos que ajudam a cercar o investimento — em alguns casos, definindo um limite e estabelecendo uma faixa na qual os preços podem variar.

Para que serve uma operação de hedge?

Como você está vendo, a principal função do hedge é fazer com que a volatilidade dos preços tenha um impacto menor em sua carteira. Sendo assim, as operações de hedge buscam oferecer proteção financeira.

Ele também serve para equilibrar o risco das operações e ajustá-las ao seu perfil de investidor, por exemplo. Ao cercar o investimento, você investe nos ativos e derivativos de interesse e, ao mesmo tempo, tem riscos modulados para as suas necessidades.

Então, é importante entender que o hedge não tem a função de melhorar a rentabilidade. Sua função principal está ligada à proteção de carteira — dentro das características específicas da realidade de cada investidor.

Quais são os tipos de hedge?

No mercado financeiro, há mais de um tipo de hedge, considerando diversos ativos e derivativos. A seguir, veja quais são as principais operações realizadas e confira como elas funcionam!

Hedge em commodities

O hedge em commodities teve início exatamente por conta dos riscos associados à variação dos preços no mercado. Sem ele, os produtores corriam o risco de colher uma safra que, no final, geraria prejuízo pelo preço de venda.

Para resolver essa questão, muitos produtores passaram a negociar contratos futuros de commodities. Por meio disso, eles puderam a acordar a venda a preços definidos anteriormente, garantindo uma negociação que fosse vantajosa.

Atualmente, a operação se dá de modo um pouco diferente. É tudo feito online e não há liquidação física ou definição de preços. Os contratos futuros permitem se expor aos movimentos futuros nas cotações de diversos produtos — como milho, soja ou boi gordo.

Hedge cambial

A flutuação de câmbio pode causar efeitos negativos para os investidores. Imagine uma empresa que recebe em reais, mas paga seus fornecedores em dólar. Se a cotação da moeda estrangeira subir, a companhia pode ter dificuldade para pagar suas contas.

O mesmo acontece com pessoas físicas que tenham obrigação em dólar. Nesse sentido, o hedge cambial serve para gerar proteção. Por meio de contratos de câmbio ou contratos futuros, é possível se expor à moeda e ter mais previsibilidade.

É o caso de um investidor que negocia um contrato acreditando que o dólar subirá. Se a moeda cair até o momento de vencimento, ele perde dinheiro com o contrato, mas ganha ao fazer a compra de papel-moeda por um preço menor que o esperado, por exemplo.

Por outro lado, se houver realmente a valorização, ele tem ganhos e pode utilizar para compensar a compra mais cara. Pelo papel do dólar em momentos de crise, o hedge cambial também pode ser utilizado para quem quer maior equilíbrio na carteira de renda variável.

Hedge em ações

Dependendo das condições de mercado, as ações podem apresentar um alto nível de volatilidade. Para evitar perdas muito intensas, há como realizar o hedge em ações. Uma estratégia comum é diversificar.

Além disso, uma das formas de fazer hedge é com opções de ações — como ao executar a estratégia de trava. Também é possível operar com contratos futuros de índices ou diluir a proporção da carteira em relação a papéis com alta volatilidade.

Como fazer hedge?

Sabendo o que é hedge, fica claro que ele pode ser feito de muitas maneiras. Além de usar derivativos, como opções ou contratos do mercado futuro, podem-se adotar outras estratégias. Por exemplo, a negociação de cotas de fundos cambiais.

Existe, ainda, a possibilidade de investir em ouro para fazer a proteção de carteira. Como o metal é considerado precioso e raro, costuma manter ou ganhar valor em momentos de crise. Portanto, pode ser uma maneira de proteger a sua carteira contra a queda.

É importante conhecer cada tipo de hedge, considerar suas necessidades, seus objetivos, seu perfil de risco e a composição da sua carteira. Assim, é viável escolher a melhor forma de fazer hedge dentro do seu modelo de investimento.

Por que ter apoio de uma assessoria?

Considerando que há diversas possibilidades para fazer hedge, o fato é que nem sempre é fácil escolher qual caminho seguir. Mesmo ciente do tipo ideal, é comum ter algumas questões sobre como executar o mecanismo para obter a proteção necessária.

Para resolver isso do melhor modo para as suas finanças, é possível buscar o apoio de uma assessoria. Os profissionais qualificados e experientes do mercado poderão tirar suas dúvidas e demonstrar quais caminhos podem ser usados para que você explore as ferramentas.

Esse apoio se mostra especialmente importante porque permite alcançar o máximo potencial quanto à segurança que o hedge pode oferecer. Também é uma maneira de aprender mais sobre o funcionamento do mercado e se preparar para usar os recursos em outras oportunidades, de maneira mais autônoma.

Depois de descobrir o que é hedge, você viu que ele é um mecanismo para proteger a carteira de oscilações e perdas decorrentes da volatilidade. Caso deseje ter mais segurança, mesmo na renda variável, pode ser interessante usar estratégias relacionadas!

Agora que você já aprendeu sobre esse conceito, que tal conhecer outros? Assine nossa newsletter e se mantenha sempre atualizado!

André Barbirato

Formado em marketing, encontrou no mercado financeiro sua verdadeira vocação. Possui certificação ANCORD e mais de 8 anos de experiência no mercado de capitais. Atualmente é sócio de um escritório de investimentos e head de mesa de renda variável. É também o criador do blog Eu Posso Investir!?.

Um comentário em “O que é hedge? Veja como funciona e como proteger seus investimentos com ele!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *