História do Bitcoin: descubra como surgiu essa criptomoeda!

As criptomoedas geram muitas dúvidas entre os investidores a respeito de seu funcionamento. Porém, como os criptoativos podem chamar a atenção do mercado, é importante estudar o tema antes de investir. Para isso, você pode começar conhecendo a história do bitcoin.

Quando se fala em criptomoedas, o bitcoin costuma ser uma das primeiras alternativas lembradas. Isso porque ele foi o primeiro criptoativo e se tornou a principal referência no mercado. Por esse motivo, entender o seu funcionamento pode ajudar a entender também outras moedas digitais.

Para ficar informado sobre o assunto, siga a leitura. Neste artigo, você descobrirá como o bitcoin foi criado e conhecerá dados interessantes em relação a ele.

Vamos lá?

O que é bitcoin?

O bitcoin é uma criptomoeda, ou seja, uma moeda virtual com valor de mercado para ser operada, mas que não apresenta um sistema centralizado de controle. Assim, ele não é comandado por um órgão específico (como Banco Central) ou Governo, como acontece com as moedas comuns.

Apesar de não existir fisicamente, a moeda pode ser usada para fazer transações em qualquer lugar do mundo que a aceite — não apenas em sistemas de criptoativos. Em 2020, por exemplo, a Paypal anunciou o bitcoin como forma de pagamento.

Assim como o bitcoin, existem outras moedas digitais descentralizadas tão conhecidas no mercado quanto, como a ether da plataforma ethereum. Entretanto, ao contrário do sistema bitcoin, que foi criado para gerar a moeda, a ethereum foi desenvolvida para oferecer contratos e serviços digitais.

Também existem outras criptomoedas no mercado, que podem apresentar semelhanças e diferenças em relação ao bitcoin. A seguir, confira duas características relevantes dessa criptomoeda que também podem estar presentes em outros ativos digitais!

Blockchain

A tecnologia que permite a segurança e a validade dos bitcoins e das transações é a blockchain. Essa ferramenta funciona como uma cadeia de blocos que são criados a partir do registro das operações. Desse modo, ela é como um livro de registros digital, imutável, incorruptível e de acesso público.

Mineradores

Para que a tecnologia blockchain possa funcionar, é necessário que diversas máquinas potentes realizem o processo de mineração. Esse procedimento exige que os computadores façam cálculos matemáticos complexos, sendo que as respostas validam a transação e são registradas em cada bloco.

Visando garantir a descentralização e a segurança da moeda, a mineração é realizada pelos mineradores — pessoas que oferecem o seu poder computacional pessoal à rede de criptomoedas. Em troca do serviço, eles recebem pagamentos em bitcoins quando têm sucesso na solução de um cálculo.

Qual é a história do bitcoin?

Sabendo o que é bitcoin, é hora de entender a história dessa criptomoeda. Ela teve início em 2007, quando Satoshi Nakamoto iniciou o desenvolvimento do conceito de bitcoin. Entretanto, não se sabe se o criador é uma pessoa ou um grupo, já que o nome apresentado é um pseudônimo.

A primeira menção ao bitcoin aconteceu em um white paper publicado contendo a promessa de que seria possível realizar transações sem a interferência de governo ou órgão.

Em 2008, o domínio bitcoin.org foi registrado de maneira anônima. O projeto também foi incluído na plataforma de desenvolvimento e distribuição de software open-source.

Já o lançamento da plataforma e a primeira transação da criptomoeda aconteceram em 2009. Na época, 1 bitcoin (BTC) valia 0,00076392 dólar. Porém, as negociações com a moeda continuaram sendo realizadas, fazendo com que, em 2010, o mercado de criptoativos já estivesse estabelecido no mercado.

Quais são os momentos marcantes dessa criptomoeda?

Você já conhece a história do bitcoin. Contudo, para entender melhor a sua trajetória, é interessante conhecer os momentos marcantes da criptomoeda no mercado. Por exemplo, a primeira compra de um item físico feito com a criptomoeda aconteceu na Flórida, em 2010.

Nesse ano, Laszlo Hanycez comprou 2 pizzas da rede norte-americana Papa John ‘s por 10 mil bitcoins, o equivalente a 41 dólares naquele período. Onze anos depois, em 2021, as pizzas valeram o equivalente a 355 milhões de dólares.

A data foi tão marcante que os entusiastas da criptomoeda comemoram o “Bitcoin Pizza Day” no dia 22 de maio. Outros momentos interessantes da criptomoeda foram:

  • julho de 2010: houve o lançamento da terceira versão do bitcoin (0.3);
  • agosto de 2010: descobriram uma falha no sistema que permitiu a criação de 184 bilhões de bitcoins, sendo a primeira vulnerabilidade expressiva do sistema;
  • novembro de 2010: o valor total negociado na plataforma ultrapassou 1 milhão de dólares;
  • dezembro de 2010: foi lançado o primeiro aplicativo para transações de bitcoin em dispositivos mobiles.

Além disso, a paridade com o dólar foi alcançada pela primeira vez em 2011. Dois anos depois, com o lançamento da oitava versão, o valor total de mercado do bitcoin ultrapassou 1 bilhão de dólares.

Nesse tempo, o sucesso da moeda digital também atraiu a atenção de mercados ilícitos. Na época, foi descoberto um esquema em que bitcoins eram usados para negociação de drogas e outros produtos proibidos.

Outro fato determinante para a moeda foi o veto do Banco Central da China ao bitcoin em 2013. Naquele ano, o Governo chinês proibiu que instituições do país realizassem transações com a criptomoeda. Em contrapartida, o bitcoin ganhou espaço na Europa e em diversos países.

O que esperar do futuro do bitcoin?

Após entender mais sobre o bitcoin, você pode ter curiosidade em saber o que esperar do mercado de criptomoeda no futuro. O tema é alvo de discussões, sendo que há a possibilidade de que o criptoativo passe por movimentos de valorização com o aumento da escassez da moeda.

Isso porque o bitcoin tem uma quantidade máxima de moedas para serem geradas ao longo do tempo — serão produzidas no máximo 21 milhões de bitcoins.

Entretanto, é importante saber que as criptomoedas apresentam alta volatilidade. Assim, elas são consideradas um investimento de renda variável. Afinal, o preço da moeda digital pode oscilar tanto para cima quanto para baixo rapidamente, não existindo garantias de lucros.

Por exemplo, um forte movimento de alta fez com que o criptoativo chegasse a 68 mil dólares em novembro de 2021. Entretanto, em janeiro de 2022, o bitcoin recuou a pouco mais de 39 mil dólares.

Por essa razão, antes de pensar em investir em bitcoin, é imprescindível entender qual é o seu perfil de investidor e os seus objetivos com o aporte. Desse modo, você tem informações para entender se o mercado de criptoativos se encaixa em sua estratégia de investimentos.

Agora que você conhece a história do bitcoin e como ele surgiu, já tem dados que podem ajudar nas suas pesquisas sobre o mercado dessa criptomoeda. Vale lembrar que o estudo e a análise são fundamentais antes de fazer qualquer investimento.

Quer continuar aprendendo sobre investimentos? Então assine a nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *