FIDC: o que é e como investir nesse fundo de investimento?

Há pessoas que, em função de seu perfil e objetivos, dão preferência a investimentos de renda fixa. Essa classe é marcada por maior segurança e previsibilidade. No entanto, pode ter rentabilidade pouco atrativa. Para otimizar isso, existem os investimentos de crédito privado.

Eles oferecem maior potencial de retorno — por serem um pouco mais arriscados. Caso você se interesse, vale a pena entender o que é FIDC e quais são as características desse veículo de investimento.

Continue lendo e conheça os FIDCs!

O que é crédito privado?

Antes de saber mais sobre o FIDC, é preciso ter em mente o conceito de crédito privado. Ele ocorre por meio da compra de títulos de crédito emitidos por empresas e instituições financeiras.

É verdade que tais títulos não oferecem um nível de segurança tão alto quanto os títulos públicos.  No entanto, eles geralmente proporcionam uma rentabilidade melhor, e isso pode torná-los atrativos.

Entre os títulos de crédito privado estão os certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio (CRI e CRA) e as debêntures. Há, ainda, fundos de investimento que alocam recursos em direitos creditórios. Você lerá sobre eles a seguir.

O que é FIDC e como funciona?

A sigla FIDC se refere a Fundo de Investimento em Direitos Creditórios. Trata-se de uma modalidade coletiva, que conta com um gestor para realizar investimentos. Esse tipo de fundo é de renda fixa e aloca recursos em títulos de crédito lastreados em contas a receber.

Entre essas contas, podemos citar compras parceladas, cheques, duplicatas, aluguéis, entre outros. Para que a empresa possa financiar suas operações sem ter que aguardar o pagamento dessas contas, os direitos creditórios podem ser securitizados.

Trata-se de um processo que estrutura as contas a receber, via securitizadoras, de modo que elas possam ser negociadas com investidores. Assim, o FIDC é um fundo que investe nesse tipo de título, podendo também aplicar em outros investimentos.

Quais são as vantagens dos FIDCs?

Uma das características que mais chamam atenção nos FIDCs é sua rentabilidade. Afinal, ela geralmente é superior quando os comparamos com títulos públicos e até mesmo com títulos bancários.

Além disso, muitos investidores consideram interessante ter um gestor tomando as decisões de investimento. Considerando a experiência e o conhecimento desse profissional, o fundo pode obter uma rentabilidade interessante com o devido manejo do risco.

Quais os riscos envolvidos?

As vantagens dos FIDCs em relação a outras alternativas de renda fixa vêm acompanhadas e maiores riscos. Entre eles, estão o risco de liquidez, de mercado e de crédito.

O risco de liquidez tem relação com a facilidade de transformar o investimento em dinheiro. Já o de crédito tem relação com a inadimplência quanto aos direitos creditórios. Por fim, o risco de mercado está relacionado aos fatores de mercado — como a inflação, que podem impactar a rentabilidade.

Por fim, vale ressaltar que os FIDCs não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Assim, é preciso considerar as características da modalidade com cuidado.

Para avaliar os riscos de cada opção antes de investir, vale notar que agências classificadoras de risco atribuem uma classificação aos FIDCs. Desse modo, você tem condições de tomar uma decisão de investimento mais consciente.

Para quem o FIDC pode ser adequado?

Os FIDCs estão disponíveis apenas para investidores qualificados — aqueles que atestam ter pelo menos R$1 milhão investidos ou são profissionais certificados do mercado financeiro. Por isso, o investimento inicial mínimo é alto — a partir de R$ 25 mil.

No entanto, já está sendo analisada pelos órgãos reguladores no mercado a possibilidade de investidores comuns comprarem cotas de FIDCs.

Para saber se ele é adequado para você, é preciso considerar, como você viu, que esse tipo de fundo está sujeito ao risco de crédito. Afinal, a rentabilidade está associada à capacidade de os clientes das empresas pagarem o que devem.

Por isso, é importante considerar seu perfil e objetivos e identificar se essa modalidade de fundo está alinhada a eles.

Como investir em FDIC?

Se você acredita que os fundos de investimento em direito creditório podem ser adequados à sua carteira, precisa saber como acessá-los. OS FDICs estão disponíveis nas plataformas das instituições financeiras.

Portanto, para investir nessa alternativa, é necessário verificar as possibilidades que a instituição pela qual você investe oferece. Não deixe, ainda, de identificar riscos, prazos, aporte mínimo e outras características antes de fazer sua escolha.

Agora que você sabe o que é FIDC, não deixe de avaliar as informações que acompanhou neste artigo para tomar uma boa decisão de investimento. Além disso, é importante tirar suas dúvidas com profissionais do mercado financeiro para se certificar de que entendeu tudo o que precisa.

Quer continuar aprimorando mais seus conhecimentos sobre as possibilidades de investimento disponíveis no mercado? Então descubra como investir em ouro!

André Barbirato

Formado em marketing, encontrou no mercado financeiro sua verdadeira vocação. Possui certificação ANCORD e mais de 8 anos de experiência no mercado de capitais. Atualmente é sócio de um escritório de investimento e head de mesa de renda variável. É também o criador do blog Eu Posso Investir!?.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *