Você conhece o significado de alocação de recursos?

A alocação de recursos é um tema cada vez mais presente no cotidiano nos brasileiros, apesar de muitos não conhecerem seu significado. Afinal, mesmo com a educação financeira ainda bastante incipiente no Brasil, muitas pessoas estão começando a investir seu dinheiro.

Mas, o que a alocação de recursos significa e como fazê-la de maneira adequada? É o que você descobrirá nesse artigo.

Continue conosco e saiba como aplicar melhor o seu dinheiro e trabalhar para construir patrimônio e um futuro mais tranquilo!

Qual o significado de alocação?

A palavra alocação costuma significar o ato ou ação de destinar recursos – a um determinado propósito. Quando falamos sobre finanças pessoais, o ato de alocar recursos costumam envolver determinada verba – ou seja, um montante financeiro.

Alocar recursos, portanto, significa destinar dinheiro para algum lugar com um objetivo específico. Se você investe, por exemplo, está alocando parte do seu capital em um investimento, visando alcançar uma meta estabelecida.

Qual a importância de alocar recursos financeiros?

Entender o significado de alocação é importante, mas saber por que manter o hábito de alocar recursos financeiros pode ser decisivo para muita gente. Afinal, sem seguir com essa tarefa no seu cotidiano, será bastante difícil compor uma boa quantia financeira para lhe trazer tranquilidade no futuro.

Além disso, alocar recursos frequentemente podem ajudá-lo a ter uma vida muito mais equilibrada também no presente – e não apenas na aposentadoria. Prova disso é a composição da reserva financeira.

Quando você tem a oportunidade de manter uma alocação de recursos frequente, é possível compor uma reserva emergencial para auxiliá-lo em momentos de instabilidade financeira. Ela deve ser composta com base nos seus custos mensais.

O ideal é que a reserva permita a você custear de 6 a 12 meses das suas despesas caso haja algum contratempo – como uma situação de desemprego.

Por isso, se você ainda não tem o hábito de poupar, economizar e investir dinheiro, pode ser o momento de considerar uma mudança em suas práticas diárias e focar na alocação de recursos a partir de agora.

Como aplicar seu dinheiro?

Agora que você já sabe o que significa a alocação de recursos e qual sua importância, é o momento de entender como aplicar seu dinheiro de maneira mais eficiente.

A primeira informação que você precisa ter, nesse caso, está relacionada às oportunidades que o mercado oferece para quem busca por alocação.

Existem, basicamente, duas principais classes de ativos: renda fixa e renda variável. A primeira é conhecida por oferecer a investidor maior segurança na hora de alocar seus recursos. Já a segunda envolve maiores riscos e, portanto, maiores possibilidades de bons retornos.

Renda fixa

Entre as opções de renda fixa disponíveis no mercado estão:

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Debêntures;
  • Fundos de Renda Fixa;
  • etc.

Renda variável

Já as alternativas de renda variável incluem:

  • Ações;
  • Fundos de Ações;
  • Fundos Imobiliários;
  • Fundos Multimercados;
  • Fundos de Índice (ETF);
  • BDR;
  • etc.

A escolha de onde aplicar o seu dinheiro depende, basicamente, dos seus objetivos e do seu perfil de investidor. Ele está relacionado à abertura aos riscos que você possui no momento de investir.

Então, para tomar decisões mais assertivas, é fundamental conhecer as alternativas do mercado e avaliar, em detalhes, as vantagens e desvantagens de cada possibilidade.

O que considerar na hora da alocação?

Como você já sabe, é fundamental identificar as opções de produtos, modalidades e ativos disponíveis no mercado, seu perfil de investidor e seus objetivos pessoais na hora de alocar seus recursos.

Contudo, é essencial considerar outras questões nesse momento. Lembre-se de que é a alocação de recursos que lhe permitirá construir patrimônio e garantir maior tranquilidade para a sua vida – hoje e no futuro.

Então, além do perfil e objetivos, considere o prazo de cada uma das metas estabelecidas, certifique-se de ter montado uma reserva para emergências e, por fim, não deixe de se planejar. A organização financeira e o planejamento são fundamentais nesse processo.

Afinal, a estratégia de alocação de recursos exige frequência de aportes para lhe trazer resultados. Então, organize-se e faça um dinheiro sobrar todos os meses para alocá-los em alternativas alinhadas ao seu perfil e que possam ajudá-lo a conquistar os seus objetivos de curto, médio e longo prazo.

Por fim, lembre-se de apostar na diversificação. A alocação de um portfólio de investimentos eficiente deve considerar a aplicação em diversos tipos de alternativas. Assim, você não se expõe a apenas um tipo de investimento ou setor e consegue equilibrar riscos, rentabilidade e a liquidez da sua carteira.

Tem alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe seu comentário e compartilhe suas dificuldades conosco!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *