O que é Governança Corporativa, como funciona e qual sua importância

O sucesso e a continuidade de uma empresa no mercado não dependem apenas do seu produto ou serviço ou do preço praticado. A gestão também é importante, já que a condução da companhia faz diferença. Nesse sentido, saber o que é governança corporativa ajuda a entender o cenário.

Para os investidores de ações na bolsa de valores, é ainda mais relevante compreender como a gestão é formada e como interfere nos resultados. Assim, torna-se possível investir no longo prazo com confiança e um entendimento melhor a respeito das projeções do negócio.

Na sequência, descubra como funciona a governança para as empresas e veja como isso deve interferir em sua tomada de decisão!

O que é a governança?

A governança é um sistema que é utilizado para operar e controlar processos, com mecanismos de responsabilização de todos os envolvidos, quando necessário. Ela envolve mais que criar projetos e executá-los, pois também define responsabilidades e como cada pessoa deverá cumpri-las.

Ela é aplicada em diversos aspectos, como governança de tecnologia, governança no setor público e governança corporativa, apenas para citar algumas.

O que é governança corporativa e qual é o seu objetivo?

Partindo para a governança corporativa, podemos explorar esse termo de modo mais profundo. Com base no conceito, a governança corporativa reúne um conjunto de ferramentas e boas práticas aplicáveis à gestão do negócio e ao relacionamento com as partes interessadas — os stakeholders.

Portanto, para entender o que é governança corporativa nas empresas é necessário perceber que seu objetivo é melhorar o relacionamento com acionistas e outras partes interessadas no negócio.

Entre os princípios da governança corporativa há questões como:

  • equidade;
  • prestação de contas;
  • responsabilidade corporativa (accountability);
  • transparência corporativa.

De acordo com as regras do mercado, todos os acionistas devem ser tratados de modo equiparado — com acesso a informações claras e transparentes. Isso inclui uma prestação de contas periódica.

Para as empresas que fazem parte do mercado de capitais, significa a divulgação de balanços e relatórios financeiros. Também é necessário que os profissionais envolvidos tenham obrigações definidas e que haja responsabilização em caso de erros ou desvios de conduta.

Por que a governança corporativa é importante?

Sabendo o que é governança corporativa e como ela atua, fica claro que é um dos componentes mais relevantes para o sucesso e a consolidação dos negócios. É graças a ela que as empresas deixam de ter estruturas familiares ou amadoras e se tornam mais profissionais e estratégicas.

Ela também tem o papel de favorecer a tomada de decisão e orientar a atuação para conquistar resultados positivos. A sua aplicação, em longo prazo, cria transformações profundas e positivas, ajudando o negócio a se consolidar.

Quais os benefícios da governança corporativa para as empresas?

Implementar a governança corporativa gera muitos benefícios para as companhias, em especial para as empresas de capital aberto.

Primeiramente, os princípios e as ferramentas de execução e controle favorecem o amadurecimento do ambiente de negócios. É uma forma de começar a aplicar boas práticas que são adotadas em empresas de grande porte por todo o mundo.

Além disso, a governança ajuda na consolidação de uma gestão financeira mais eficiente. Como consequência, ocorre um aumento na robustez da empresa no cenário e uma consolidação de mercado. Logo, é um meio de apoiar a continuidade da companhia.

Para completar, há um gerenciamento que é mais estruturado, auditável e eficaz. Todos esses pontos podem ajudar a aumentar o nível de competitividade, favorecendo a sua atuação, ampliando a participação de mercado e atraindo investidores.

Quais as vantagens da governança para os investidores?

O que nem todo mundo percebe é que a governança corporativa não é importante apenas para a gestão, em si. A adoção das boas práticas relacionadas também é essencial para outras partes interessadas — como os investidores.

No caso das empresas de capital aberto, ou seja, que negociam suas ações na bolsa de valores, é um critério para estabelecer um nível de confiança. Quando o negócio tem um bom nível de governança, transparece segurança e o investidor é mais facilmente convencido a alocar recursos.

Considerando que o investimento em ações é feito no longo prazo, é preciso acreditar na capacidade da companhia em se manter (e crescer) no mercado. A governança oferece as ferramentas para que isso seja alcançado e, portanto, pode ajudar investidores a terem resultados melhores.

Além de tudo, os princípios de governança ajudam a evitar que investidores sejam tratados de forma diferente ou que não haja transparência nas decisões. A comunicação é clara e direta, o que facilita a tomada de decisão sobre realizar novos aportes ou vender os papéis, por exemplo.

Quais são os níveis de governança para empresas na B3?

A evolução da governança corporativa no Brasil tem o apoio essencial da B3. Isso acontece porque a bolsa de valores brasileira classifica as empresas listadas em níveis de governança. Eles envolvem desde as companhias que cumprem apenas o que é obrigatório até aquelas que vão além.

Os segmentos de listagem são os seguintes:

  • Bovespa Mais;
  • Bovespa Mais Nível 2;
  • Nível 1;
  • Nível 2;
  • Novo Mercado.

Empresas classificadas no segmento Novo Mercado atingem o nível mais alto de governança corporativa. Para que isso seja possível, é preciso divulgar dados além do que é obrigatório, ter área de compliance, formar o conselho administrativo seguindo regras específicas, entre outros pontos.

Como considerar esse aspecto ao investir em longo prazo?

Como visto, a governança corporativa é fundamental para estabelecer um nível de confiança, especialmente ao investir em longo prazo. Logo, é oportuno avaliá-la como um dos critérios antes de incluir uma ação em sua carteira de investimentos.

Uma das maneiras de compreendê-la é saber de qual segmento definido pela B3 ela faz parte. Assim, é possível entender quais são os padrões adotados.

Também convém acompanhar as notícias sobre a empresa, conhecer a visão de analistas e avaliar outros indicadores fundamentalistas. Desse modo, você terá mais segurança para ter o ativo em longo prazo na sua carteira.

Sabendo o que é governança corporativa e para que ela serve, você poderá adotá-la como um critério para escolher as ações que farão parte da sua carteira. Como consequência, o investimento em longo prazo tende a ser favorecido.

Quer saber mais? Acompanhe nossas publicações no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube e tenha mais informações sobre o mercado financeiro!

André Barbirato

Formado em marketing, encontrou no mercado financeiro sua verdadeira vocação. Possui certificação ANCORD e mais de 8 anos de experiência no mercado de capitais. Atualmente é sócio de um escritório de investimento e head de mesa de renda variável. É também o criador do blog Eu Posso Investir!?.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *